Quadra que desabou estava interditada desde setembro, diz Prefeitura de SJB

Queda ocorreu na noite de sábado; local já estava interditado e processo licitatório para reforma foi aberto em outubro

Foto: Leitor Parahybano

A Prefeitura de São João da Barra, desde que ocorreu o desabamento de parte da cobertura metálica e pilares pré-moldados da quadra da Escola Municipal Domingos Fernandes da Costa (Dofec), na noite do último sábado, 7, adotou medidas de segurança e começou a avaliar o que pode ter provocado a queda da estrutura. A escola fica na sede do município, no trecho urbano da BR-356. Ninguém se feriu.

Na manhã desta segunda-feira, 9, os secretários municipais de Obras e Serviços e de Educação e Cultura, Alexandre Magno e Daniel Damasceno, se reuniram no gabinete da Prefeitura, com o coordenador e o subcoordenador municipal de Defesa Civil, Wellington Barreto e Luís Fernando Duarte, para tratar do assunto e de como será feita a reconstrução da quadra.

A quadra estava interditada desde o dia 17 de setembro, quando a Defesa Civil emitiu laudo apontando deslocamento lateral no segundo pilar, à esquerda da quadra, devido à ruptura dos tirantes, ocasionada por desgaste natural. O mesmo relatório também apontou a necessidade de manutenção em outra ala da quadra, porém não emergencial, sendo necessário dar entrada nos trâmites licitatórios. O processo para a licitação, aberto em 9 de outubro, prevê a contratação de empresa especializada para a execução de serviços de engenharia para reforma e cobertura das quadras do Dofec e da Escola Municipal Luiz Gomes da Silva Neto, em Enjeitado. O serviço estava planejado dentro de um pacote de obras que está para ser executado.

“Tomamos as medidas cabíveis de interdição e agilizamos a obra emergencial dos pilares e telhados, já que, com o rompimento dos tirantes, algumas salas de aula, que também foram interditadas, poderiam ser atingidas. Mesmo com a avaliação não emergencial de outra ala da quadra, o local permaneceu interditado.”, relatou Alexandre Magno.

Foto: Leitor Parahybano

O secretário também explicou que desde o ocorrido está sendo realizada uma avaliação pela Coordenação de Fiscalização da Secretaria de Obras, a fim de apurar a causa do desabamento. A quadra foi construída em 2011. Instantes após o desabamento a rua foi interditada. A limpeza dos escombros será concluída nesta terça-feira, 10.

Segundo a secretaria de Obras, há uma dezena de ações a serem executadas no município. Nesta listagem são consideradas prioridades as obras das quadras poliesportivas das escolas Chrisanto Henrique de Souza, no Açu, e a Elysio de Magalhães, Barcelos, que apresentam maior deterioração. Um convênio firmado com o Ministério da Cidadania, no valor de R$ 298.230,00, prevê a recuperação das quadras dessas escolas, que se encontram interditadas. A obra foi licitada e aguarda a liberação da verba por parte do governo federal.

“Viemos de um período de ações efetivas do governo na recuperação de prédios públicos e até o momento 17 escolas receberam a manutenção necessária. As quadras poliesportivas que apresentam problemas seguem interditadas”, disse Damasceno.

Também participou da reunião, realizada no gabinete da Prefeitura, a diretora do Dofec, Zielma Abreu. Ela explicou que comunicou à Secretaria de Educação no dia 16 de setembro a necessidade de vistoria na quadra. No mesmo dia a Secretaria de Educação comunicou à Secretaria de Obras e Serviços e a obra começou no dia seguinte. “Fomos prontamente atendidos e o acesso à quadra recebeu intervenção e em seguida a obra necessária. Nossos alunos passaram a utilizar o campo do estádio municipal para se prepararem para os Jogos Estudantis, que aconteceu na quadra do Ciep”, frisou. As aulas seguem normais a partir de quarta-feira, 11.

Fonte: Secom – SJB

Foto: Leitor Parahybano

 

Comente