mini-renatoXícara de Café

Danillo Neves

Pandemia, cultura e música pelas redes sociais

Foto: Divulgação

Por Danilo Neves

Uma das coisas mais incríveis que eu tenho observado nestes últimos dias, em meio a este período pandêmico, é a atuação da arte no processo de nos mantermos com a sanidade mental mais garantida, se é que podemos garantir algo em meio a tudo isso que estamos vivendo. Vale ressaltar que o consumo das redes sociais no Brasil aumentou muito durante a pandemia do coronavírus, principalmente com o distanciamento social.

Os atores dos palcos adotaram o distanciamento social e para continuar ativos utilizam das “lives” pelas redes sociais assim como: cantores, fotógrafos e as direções fotográficas, que em ensaios ultra modernistas, mas com a intimidade do lar e da intimidade, explodem no formato de posts pelo Instagram.

Bom, temos que analisar tudo com os olhos voltados para o pós e contras. Sabemos, então, que os danos causados, sobretudo a vida, jamais conseguiremos recuperar, porém o aprendizado e o jeito em que olhamos uns aos outros, mudou, e isso avançou de anos para meses. Pensando bem, podemos dizer que, não meses, mas sim o próprio ano de 2020… “2020 já se foi” palavras do meu amigo, micro-empresário, vendedor de churrasquinho, e, conscientemente, da minha amiga enfermeira de Martins Lage, que convenhamos, concordamos que precisamos mesmo de um novo ano para reescrevermos uma página perdida pelo efeito de um vilão estranho, e antes nunca visto, o novo coronavírus.

A cultura, desde o princípio das civilizações compunha a vida e os processos evolutivos. Desde as antigas guerras regidas pelos sons de percussão e sons de shofar, até os sons das cantigas dos primeiros índios deste país, enfim, estamos conectados de uma forma suprema aos sons e culturas que nos possibilitam ter um vasto acervo, tanto de coisas já existentes, quanto o que nasce nesta pandemia, por meio da música e as artes de uma classe tão desacostumada com o tédio de dentro de casa, embora, hoje, seja mais do que necessário.

Somos criativos e criaturas que amamos nos expor e nos expomos por bons temas e gestos. O 2020 até pode ser um ano abominável para muitos, mas veja com os bons olhos. A solidariedade é o lado mais incrível desta humanidade, onde está sendo vista, não somente em um único dia de Natal, mas com gestos diários de lives, por exemplo, que arrecadam 4 ou 5 milhões de reais e fazem um serviço tremendo para um cenário calamitoso, onde nossos governantes das altas esferas, mal sabem o que realmente nós cidadãos não palacianos necessitamos.

Por fim, o que necessitamos neste momento é de serenidade. Diversas e muitíssimas maneiras e formas existem, para que sua quarentena seja dinâmica e nunca, tediosa. Arte na veia. Arte na alma, o mundo precisa pluralidade.

Vamos mostrar nossa cultura pelas redes sociais e garantir uma saúde mental global.

 

2 Comentários

  1. ❤❤❤
    Sou teu fã

    Reply
    • Obrigado Sonats ❤️

      Reply

Comente