mini-elderOpinião

Elder Amaral

facebook

twitter

youtube

colunas

Coronavírus: saiba o que é uma pandemia

OMS declarou pandemia de Covid-19 nesta quarta-feira

Foto: REUTERS / Agustin Marcarian

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou ontem (11) pandemia para o Covid-19, infecção causada pelo novo coronavírus.

Segundo a OMS, uma pandemia é a disseminação mundial de uma nova doença. O termo é utilizado quando uma epidemia – grande surto que afeta uma região – se espalha por diferentes continentes com transmissão sustentada de pessoa para pessoa. Atualmente, há mais de 115 países com casos declarados da infecção.

A questão da gravidade da doença não entra na definição da OMS de pandemia que leva em consideração apenas a disseminação geográfica rápida que o vírus tem apresentado.

“A OMS tem tratado da disseminação [do Covid-19] em uma escala de tempo muito curta, e estamos muito preocupados com os níveis alarmantes de contaminação e, também, de falta de ação [dos governos]”, afirmou o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom, no painel que trata das atualizações diárias sobre a doença. “Por essa razão, consideramos que o Covid-19 pode ser caracterizado como uma pandemia”, explicou durante a conferência de imprensa em Genebra.

Ao caracterizar o Covid-19 como uma pandemia, Tedros Adhanom afirmou que o termo não deve ser usado de forma leviana.

“Pandemia não é uma palavra a ser usada de forma leviana ou descuidada. É uma palavra que, se mal utilizada, pode causar medo irracional ou aceitação injustificada de que a luta acabou, levando a sofrimento e morte desnecessários”, declarou.

Recomendações permanecem

O diretor-geral da OMS ressaltou que a declaração não significa a adoção de novas recomendações no combate ao vírus.

“Descrever a situação como uma pandemia não altera a avaliação da OMS sobre a ameaça representada por esse coronavírus. Não altera o que a OMS está fazendo nem o que os países devem fazer”, disse Adhanon.

Durante a conferência, ele lembrou o que a OMS preconiza a todos países. “Lembro a todos os países que solicitamos: ativar e ampliar seus mecanismos de resposta a emergências, informar profissionais sobre riscos e como podem se proteger; encontrar, isolar, testar e tratar todos os casos de Covid-19, rastreando todos os contatos”.

“Todos os países devem encontrar um bom equilíbrio entre proteger a saúde, minimizar disrupções econômicas e sociais e respeitar os direitos humanos”, avaliou o diretor-geral.

Outras pandemias

A última vez que a OMS declarou uma pandemia foi em 2009, para o H1N1. Estima-se que a doença tenha infectado cerca de 1 bilhão de pessoas e matado milhares no primeiro ano de detecção.

Ainda segundo a OMS, uma pandemia de gripe ocorre quando um novo vírus emerge e se espalha pelo mundo, e a maioria das pessoas não tem imunidade.

Há 100 anos, o mundo enfrentou uma outra pandemia, a de gripe espanhola. Estima-se que entre 50 e 100 milhões de pessoas tenham morrido entre 1918 e 1920.

Brasil está mais preparado

Na semana passada, em entrevista à Agência Brasil, o médico infectologista Rivaldo Venâncio, coordenador de Vigilância em Saúde e Laboratórios de Referência da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), afirmou que o Brasil está mais preparado para lidar com o Covid-19 do que estava, em 2009, para enfrentar a pandemia da gripe H1N1. Segundo ele, a população precisa se manter informada, mas não há razão para pânico.

Fonte: Agência do Brasil

 

colunas

OMS faz alerta sobre a saúde dos adolescentes

84% dos jovens brasileiros não praticam uma hora diária de exercícios

Foto: Agência do Brasil

Quatro em cada cinco adolescentes no mundo são sedentários, especialmente as meninas, informa estudo revelado nesta sexta-feira (22) pela Organização Mundial da Saúde (OMS), elaborado entre 2001 e 2016, em 146 países. No Brasil, a situação é pior: 84% de jovens entre 11 e 17 anos não praticam uma hora diária de atividade física, conforme recomendação da OMS.

De acordo com o estudo, uma das causas desta tendência é a “revolução digital”. O documento foi publicado pela revista The Lancet Child & Adolescent Health.

Para calcular o número de adolescentes sedentários, a OMS analisou pela primeira vez dados reunidos entre 2001 e 2016, envolvendo 1,6 milhão de estudantes de 146 países. Em todo o mundo, 81% dos jovens entre 11 e 17 anos escolarizados não cumpriram a recomendação de uma hora diária de atividade física em 2016, registrando uma ligeira queda em relação a 2001 (82,5%). A situação atual é muito mais preocupante entre as meninas, 85%, do que entre os meninos, 78%.

Os primeiros dados sobre tendências globais em termos de atividade física insuficiente entre adolescentes mostram a necessidade de medidas urgentes para aumentar os níveis de atividade física entre meninas e meninos dos 11 aos 17 anos de idade. O documento conclui que mais de 80% dos adolescentes em idade escolar em todo o mundo – especificamente, 85 % de meninas e 78% de meninos – não atingem o nível mínimo recomendado de uma hora de atividade física por dia.

A diferença entre a porcentagem de meninos e meninas que atingiram os níveis recomendados em 2016 excedeu 10 pontos percentuais em aproximadamente um em três países (29%, ou seja, em 43 dos 146 países), e as maiores diferenças foram registradas nos Estados Unidos da América e na Irlanda (mais de 15 pontos percentuais). Na maioria dos países considerados no estudo (73%, ou seja, em 107 de 146), observou-se um aumento nessa diferença de gênero entre 2001 e 2016.

Atividade física

De acordo com o documento, os níveis de atividade física insuficiente observados entre os adolescentes permanecem extremamente altos e isso representa um perigo para sua saúde atual e futura. “É necessário adotar medidas regulatórias urgentes para aumentar a atividade física e, em particular, promover e manter a participação das meninas”, diz a Dra. Regina Guthold (OMS), autora do estudo.

Dentre os benefícios à saúde de um estilo de vida fisicamente ativo na adolescência, vale destacar a melhora da capacidade cardiorrespiratória e muscular, a saúde óssea e cardiometabólica e os efeitos positivos no peso. Da mesma forma, há evidências crescentes de que a atividade física tem um efeito positivo no desenvolvimento cognitivo e na socialização. Os dados atualmente disponíveis indicam que muitos desses benefícios permanecem até a idade adulta.

Para alcançar esses benefícios, a OMS recomenda que os adolescentes pratiquem atividade física moderada a intensa por uma hora ou mais por dia.

Fonte: Agência do Brasil

 

colunas

Enquete Carnaval 2016

10987661_731118556986584_2087596716198566544_n

Foto: Paulo Pinheiro

Enquete: Blocos de abadás deverão acontecer na rua Barão de Barcelos?

“Circuito da Folia”, poderá ser o nome do mais novo espaço para os blocos de abadás do melhor Carnaval do interior do Rio de Janeiro, em São João da Barra. O local seria na rua Barão de Barcelos, próximo da rodoviária, da Prefeitura Municipal e da avenida do Joaquim Thomaz de Aquino Filho. O que você acha?

Durante os cinco dias de folia, cerca de cinco mil pessoas por dia passam pela avenida do samba.

De acordo com o empresário, morador da área central e ex-secretário geral do Conselho Municipal de Cultura, Rhaffa Henriques, no ano de 2014, o Conselho deliberou que os blocos fossem retirados da avenida e se apresentassem na Barão de Barcelos.

bloco-do-flamengo-psp-4

Foto: Divulgação

– A deliberação que foi encaminhada ao prefeito e a Câmara, foi aprovada por unanimidade pelo Conselho e até hoje não foi implantada -, disse Rhaffa.

O empresário afirma que o objetivo é desafogar o fluxo de foliões na avenida e retornar o folião sanjoanense, que era altamente tradicional.

– Espero que algum dia a avenida seja devolvida aos foliões para que famílias possam voltar a brincar o carnaval com suas tradições -, concluiu.

Segundo o historiador e professor Fernando Antônio Lobato, desde que surgiram os blocos de abadás houve uma privatização do espaço público.

– Acho ótimo que tenha um local específico para os blocos desde que não seja a rua principal. Deixar a avenida para as escolas de sambas Congos, Chinês e Chatuba, Indianos, críticas, mascarados e crianças, enfim, o carnaval de antigamente. Não penso que deveriam jogá-los numa rua secundária, mas sim dar estrutura numa rua que poderia ser a Barão de Barcelos -, afirmou Fernando.

A secretaria de Turismo informou que cerca de 20 blocos de abadás desfilam na avenida do samba durante os cinco dias de folia de Momo.

Dê sua opinião, participe!

Sabado de carnaval 010 (Copy)

Foto: Divulgação

Leia também: Bloco Tô Ki Tô leva mais de 2 mil pessoas à Avenida do Samba

Crianças participam do Carnaval no Bloco Mulekada

Bloco Abalou fez festa na Folia de Momo em SJB

Bloco Mello Folia agitou grande público na Avenida do Samba em SJB

Bloco “Diga Q Valeu” comemora 10 anos de sucesso na Avenida do Samba

Bloco ‘Eu Soube’ agita público no primeiro dia de folia em SJB

 

colunas

Porto do Açu recebeu 966 embarcações em 2016 e 68 navios em 2017

Foto: Parahybano

Foto: Parahybano

A assessoria da Prumo Logística informou que ao longo do ano de 2016, o Complexo Portuário do Açu recebeu um total de 966 embarcações comerciais. O número é mais de quatro vezes maior do que o registrado no ano anterior (209). Até agora, em 2017, foram registrados os acessos de 68 navios.

No último dia 12 de janeiro chegou ao Terminal 1 (T1), o navio CELIGNY (IMO: 9747883, MMSI: 310742000) que é um navio cargueiro e atualmente navega sob bandeira da . O CELIGNY tem 292 metros de comprimento e 45 metros de boca.

Foto: Parahybano

Foto: Parahybano

Já no último dia 14 de janeiro, mais um navio do Panamá chegou ao Terminal. Desta vez, o navio MINERAL HAIKU (IMO: 9489845, MMSI: 372216000) que é um Graneleiro registado em Panamá. O navio HAIKU tem um peso morto de 180242 toneladas e foi construído em 2010. A tonelagem bruta é 90423.

Navios da Grécia, Libéria, Panamá, Hong Kong, Filipinas, entre inúmeros outros, já chegaram ao porto para embarque de minério de ferro desde sua a inauguração no dia 22 de outubro de 2014, onde recebeu o primeiro navio que foi o KEY LIGHT (IMO: 9490129, MMSI: 357152000), sendo um navio Graneleiro construído em 2012 e atualmente navegando sob bandeira da Panamá. O KEY LIGHT tem 229 metros de comprimento e 32 metros de boca. A sua tonelagem bruta é 43656 toneladas.

A Prumo informou, ainda, que arrecadação do Imposto Sobre Serviços (ISS) é referente a todos os serviços realizados no Porto do Açu, incluindo as operações. Nos últimos anos (de 2008 até 2015), a Prefeitura de São João da Barra arrecadou mais de R$ 60 milhões em ISS. O aumento da arrecadação de ISS aumentará de acordo com a instalação de novas empresas no complexo.

A instalação da Zona de Processamento de Exportação (ZPE), a operação da ferrovia, a dragagem do Terminal de Petróleo e ampliação do Terminal Multicargas, são importantes vetores para a atração de indústrias para o Porto. 

Centésimo navio

O navio de número 100 atracou no último dia 27 de abril no Complexo Portuário do Açu, em São João da Barra e deverá seguir para o Oriente Médio ainda hoje, 29. O navio graneleiro Nord Dorado, construído em 2010 tem 250 metros de comprimento com 43 metros de boca, já foi atracado no armazém 38 operado pela Caramuru em 12/10/2013, em sua primeira escala em Santos. Procedente de Gibraltar, fundeou dia 12/07/2013, atracando somente em 04/10/2013 por volta da 20h. Suspendeu dia 13/10/2013 por volta das 10h com destino a Amsterdã (Países Baixos).

Dois navios atracam simultaneamente

Foto: Parahybano

Foto: Parahybano

Dois navios atracaram simultaneamente no último dia 06 de outubro de 2015 no Terminal 1, chamado de T1, do Complexo Portuário do Açu.

O navio VOGERUNNER (IMO: 9475301, MMSI: 229105000) é um navio bulk carrier construído em 2008 e atualmente navegando sob bandeira da Malta. O VOGERUNNER tem 280m de comprimento e 45m de boca, seguiu com destino ao Oriente Médio na tarde da última terça-feira, 06. A sua tonelagem bruta é 89603 ton.  Já o navio ALPHA MILLENNIUM (IMO: 9212058, MMSI: 249655000) é do tipo Graneleiro registado em Malta e seguiu com destino ao Oriente Médio na tarde desta sexta-feira, 09.

Porto do Açu

O T2 está instalado no entorno de um canal para navegação, que conta com 6,5 km de extensão, 300 metros de largura e profundidade de, pelo menos, 10 metros em toda a sua extensão, chegando a 14,5 metros na sua maior profundidade. Neste terminal estão instaladas e já operando as empresas Technip, NOV, Wartsila e Intermoor. Ainda este ano, estão previstos entrar em operação o terminal da BP Prumo para comercializar combustíveis marítimos (bunker), o terminal da Petrobras na base de apoio da Edison Chouest Offshore e o terminal de cargas gerais (TMULT).

O T1 é dedicado à movimentação de minério de ferro e petróleo. Operacional desde outubro de 2014, o terminal já embarcou mais de 20 navios capesizes de minério de ferro para a Anglo American. As operações de petróleo terão início em 2016 e poderão receber navios VLCCs. Recentemente, foi assinado um contrato para transbordo de petróleo com a BG por 20 anos, para movimentação de um volume médio 200 mil barris por dia.

Novos Terminais

O Terminal de Combustíveis Marítimos do Açu (TECMA), começou a operar neste mês com a comercialização de combustível marítimo sob a marca BP Marine. Parceria entre a Prumo e a BP, o terminal oferece serviços de abastecimento de combustíveis para embarcações que estiverem no Porto do Açu e clientes operando na região. A operação deste terminal é um marco para o Porto do Açu, que irá se configurar como a melhor opção para abastecimento no estado do Rio de Janeiro.

O Terminal Multicargas (T-MULT) está instalado no Terminal 2 (terminal onshore) do Porto do Açu. Representando uma nova alternativa de escoamento para o Sudeste brasileiro, o T-MULT possibilita o acesso direto de clientes instalados na retroárea a um terminal portuário, desenvolvendo o complexo industrial do porto e concretizando o conceito porto-indústria. Com este conceito, o Porto do Açu traz para o Brasil uma solução integrada que visa atender em um único lugar todas as necessidades dos clientes, oferecendo competividade, serviços com qualidade e reduzindo o risco Brasil.

Já o Terminal de Petróleo (T-OIL), é uma parceria da Prumo com a alemã Oiltanking, que está iniciando suas operações de comissionamento. Com atuais 20,5 metros de profundidade, e expansão prevista para 25 metros, o T-OIL está licenciado para movimentar 1,2 milhão de barris de petróleo por dia e é o único terminal privado no país para operação de transbordo de petróleo. Com 3 berços disponíveis ao longo de 1,4 km de quebra-mar, no terminal serão realizadas operações em área abrigada, que possibilita uma operação segura e rápida, com eficiência e redução de custos para os clientes. O resultado é o aumento da competitividade do petróleo brasileiro. Além disso, a operação no Porto do Açu reúne características de alto nível que oferecem atendimento de qualidade para toda a indústria de óleo e gás.

 

Leia também:

Navio de Bahamas deixa o Porto do Açu, em SJB

Mais um navio do Panamá chegou ao Porto do Açu

Porto do Açu recebe outro navio do Panamá

Navio da Libéria, com quase 300 metros, atraca pela segunda vez no Porto do Açu

Oitocentos navios já atracaram no Porto do Açu

Navio Rini atracado no Porto do Açu

Mais um navio do Panamá no Porto do Açu

Dois navios atracados no Porto do Açu

Navio do Panamá atraca pela segunda vez no Porto do Açu

Novos terminais no Porto do Açu somam R$ 1,5 bilhão em investimentos

Centésimo navio atraca no Porto do Açu, em SJB

Dois navios atracam simultaneamente no Porto do Açu

Navio da Libéria atraca no Porto do Açu

Quinquagésimo navio atraca no Porto do Açu

Navio da Grécia atraca no Porto de Açu

Dois navios atracam simultaneamente no Porto do Açu

Navio Sagittarius atraca no Porto do Açu

Porto do Açu recebe navio da Filipinas

Navio “TANGO” atraca no Porto do Açu

Navio da Grécia atraca no Porto de Açu

Mais um navio atraca no Porto do Açu

Navio Frontier Queen atraca no Porto do Açu

Vigésimo nono navio atraca no Porto do Açu

Segundo navio da Grécia atraca no Porto do Açu

Terminal 1 do Porto do Açu completa um ano em operação

 

colunas

Quer trabalhar no Porto do Açu?

Foto: Divulgação

A Prumo participou nos dias 21 e 22 de outubro da III Feira de Estágio e Emprego, que aconteceu na Universidade Estácio de Sá, em Campos dos Goytacazes. No estande, os estudantes puderam acompanhar o estágio atual do Porto do Açu e as possibilidades para os interessados em trabalhar no empreendimento.

– Quem visitou nosso estande pode ampliar sua rede de relacionamento, conhecer os canais para recebimento de currículos e saber sobre os processos seletivos em curso na Prumo -, informou a gerente de Recursos Humanos da Prumo, Beatriz Taranto.

Durante o evento, também será apresentada a Rede de Empregabilidade, um programa que centraliza em um único banco de dados, a mão-de-obra disponível local e os trabalhadores que atuam nas obras do Complexo Industrial. O objetivo da Rede é que todas as empresas que estão se instalando no Complexo, assim como os prestadores de serviços, utilizem este banco de dados para contratações. Para cadastro na Rede de Empregabilidade, o interessado deve encaminhar o currículo para o e-mail curriculo.porto@gmail.com.

Para saber mais sobre as vagas disponíveis na Prumo, acesse: www.vagas.com/prumologistica.

 

sombra-base-conteudo