Bebê de 10 meses é salvo por PM e guarda civil em SFI

Foto: Divulgação PM

Um policial militar e um guarda civil municipal de São Francisco de Itabapoana salvaram a vida de um bebê de 10 meses, na noite desse domingo (28) na localidade de Praça João Pessoa, em SFI. O bebê havia engasgado com um pedaço de plástico e os avós foram pedir socorro no Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO), da localidade.

O pai do pequeno Théo, Welton Mendes Caldeira, de 38 anos, contou que a família estava reunida na sala, por volta das 21h, quando perceberam algo de errado. Em desespero, ele pensou em levar a criança a uma unidade de saúde. Ele e a sogra saíram com o bebê e, no meio do caminho, há cerca de 500 metros de casa, resolveram pedir socorro no DPO.

— Eu estava indo para o postinho, quando minha sogra deu a ideia de tentarmos no DPO. Lá eles fizeram o salvamento e, graças a Deus deu tudo certo. Na hora ele já ficou corado e melhorou. Era um pedaço de plástico de embalagem que estava atrapalhando ele a respirar — contou o pai já aliviado.

De acordo com o cabo Ataulpho, ele e o guarda civil Da Silva teriam acabado de retornar de uma ocorrência quando foram surpreendidos pelos avós da criança, desesperados pelo sufocamento do bebê. “Tínhamos acabado de retornar ao DPO e estávamos jantando quando chegaram o pai e a avó em desespero dizendo que a criança estava engasgada, passando mal, quase desfalecendo. Prontamente fomos de encontro aos familiares e percebemos que os lábios estavam bem branquinhos, quase roxos e a língua também. Paramos e fizemos a manobra de Heimlich, quando na primeira vez, com o GCM Da Silva. A gente insistiu e eu também executei a manobra. Nesse momento a criança começou a vomitar e saiu o pedaço de plástico que estava causando o engasgo”, contou o cabo.

O policial explicou que existe uma parceira em São Francisco, com a Polícia Militar, de cooperatividade, para atuar no DPO de Travessão de Barra e Praça João Pessoa. Ele disse ainda que por ser casado com uma profissional de saúde, quis aprender a manobra. “Meu amigo, o Da Silva, teve treinamento sobre a manobra. Já eu na Polícia Militar, e eu tenho oito anos de polícia, não tive treinamento. Porém, como sei que é uma situação corriqueira da atividade policial, procurei saber como é feita a manobra e dentro de casa eu tenho uma esposa que é fisioterapeuta intensivista, então ela, que é especializada na área respiratória. Ela me ensinou e na hora veio tudo na minha cabeça. Graças a Deus deu tudo certo. No final o sorriso dela demonstra toda a graça que foi alcançada”, contou o policial.

Em sua rede social, a mãe da criança, Raysa Ripolli de Oliveira, fez um agradecimento emocionado. “Começo essa postagem com o coração cheio de emoção, lágrimas e gratidão. Primeiramente agradeço ao meu Grandioso e amado Deus que permitiu que o pior não acontecesse ao meu filhinho e depois agradeço eternamente e esses dois policiais que se tornaram heróis para mim e meus filhos, que não hesitaram em nenhum momento em socorrer meu bebê após um episódio horrível de engasgamento, pois se não fosse eles, talvez meu filhinho estivesse nos braços do Pai agora. Obrigada Jesus por capacitar homens assim, que por vezes além de policiais, se tornam momentaneamente médicos, enfermeiros e nos encorajam a todo tempo dizendo que tudo vai ficar bem. Só tenho agradecer a vocês que permanecerão para sempre em meu coração e só desejo que Deus abençoe a vida de vocês e que sempre lhes protejam por onde passares. Mais uma vez OBRIGADA JESUS POR SALVAR MEU BEBÊ E OBRIGADA CABO ATAULPHO E CABO SILVA do DPO de Praça João Pessoa por tudo. O susto e desespero foram enormes, mais a vitória foi mais linda ainda”, emocionou-se a mãe.

Fonte: Folha da Manhã

 

Comente